• Facebook
  • Twitter
  • LinkedIN
  • Google Plus
Abrir empresa nos EUA | Contabilidade nos EUA | Investir nos EUA

US : +1 (305) 824-9100 | BR : + 55 (11) 3957-1612

Como abrir uma empresa nos EUA | Investir nos EUA | Imposto de Renda nos EUA
Como abrir uma empresa nos EUA | Investir nos EUA | Imposto de Renda nos EUA

A Brasilidade da America Expert

Simone de Oliveira, 37 anos, CEO da America Expert – empresa americana que auxilia empresas brasileiras nos EUA – tem uma história interessante que parece enredo de novela. Ha 10 anos, a carioca foi a Miami acompanhar a banda Cidade Negra – na época ainda trabalhava como produtora musical – e decidiu ficar por lá. Antes mesmo de a turnê acabar. Simone, formada em administração de empresas já estava empregada numa consultoria que tinha vagas abertas para quem falasse português.

Depois de muito trabalho e alguns anos de Miami, a brasileira percebeu que podia ganhar dinheiro ajudando os conterrâneos a se instalar em território americano. Então, abriu sua empresa de consultoria e hoje ensina o caminho das pedras para quem quer iniciar uma operação, como comprar ou vender nos Estados unidos. Em geral, são micro e pequenas empresas, que não fazem ideia de como iniciarão o processo de internacionalização.

Nos primeiros anos da America Expert, ela assessorava em media quatro empresas por ano. “Durante a crise, foi uma seca só”, conta. O interesse de empresas brasileiras em se instalar nos EUA voltou a aumentar no inicio do ano passado. O motivo desse aumento também se deve ao acesso a financiamentos e incentivos locais, que aumentaram por causa da crise numa tentativa de atrair investimentos e gerar empregos.

A Giro SP entrevistou essa brasileira que, além de talentosa empreendedora, é corajosa ao estabelecer uma empresa de um início um tanto quanto remoto. Confira as dicas de Simone Oliveira!

GIRO SP: Em algum momento de sua vida como produtora, havia passado por sua cabeça sair do Brasil e ter seu próprio negócio em outro país, principalmente nos EUA, devido a burocracia que é mostrada pela mídia?
SIMONE: Não. Na verdade, tudo aconteceu de repente e de forma natural. Sempre tive uma personalidade inquieta, buscando por algo mais, conhecer mais e aprender mais. Como administradora de empresas já tendo trabalhado somente em empresas multinacionais com uma bagagem multicultural, falando três idiomas fluentes, acredito ter ajudado, mas a verdade é que estava em uma fase de mudança de vida e, claro, essa foi a maior delas.

GIRO SP: Como foi seu começo em outro país em relação à adaptação da cultura, aos costumes, idioma, legalização, ajudas, benefícios e outros fatores que foram importantes para fixação em um local diferente do nosso habitat natural?
SIMONE: Não foi nada fácil no início, pela cultura e pela falta que eu sentia dos amigos e principalmente, da minha família, que ficou no Rio. Mas como o estilo de vida e o jeito de ser dos americanos me cativaram desde o começo, acredito que me ajudou muito na fase de adaptação. Aqui podemos fazer planejamento em longo prazo e a população tem mais acesso ao estudo e também à inclusão social. Eu sou muito grata aos EUA, pois me ensinou muito sobre igualdade, respeito, segurança e liberdade de expressão. Fez-me uma pessoa mais completa, sabendo balancear o melhor dos dois mundos. E foi com esse propósito que a AE foi fundada.

GIRO SP: Todos nós aprendemos com as dificuldades que encontramos e superamos. Qual foi a maior dificuldade que encontrou nesse processo de fixar-se nos EUA?
SIMONE: Certamente foram as diferenças culturais e hábitos alimentares. Sinto falta da comida brasileira e procuro cozinhar sempre que posso.

GIRO SP: Você diz que atendia, em média, quatro clientes porá no. Todos foram bem sucedidos? Houve alguma desistência e, se houve, qual foi o motivo?
SIMONE: As grandes maiorias dos clientes que abrem empresas no exterior conseguem, seja a curto, médio ou longo prazo, concretizar seus negócios. Porém, o sucesso está intimamente ligado ao conhecimento e saber como se posicionar em um mercado desconhecido e com o maior potencial de consumo no mundo. A falta deste conhecimento, sem a orientação de uma boa consultoria para auxiliar o empresário passo a passo do processo, é a principal razão de uma empresa vir a encerrar as suas operações em terras americanas.

GIRO SP: Quais são os pré-requisitos recomendados para se montar uma empresa nos EUA?
SIMONE: Planejamento é a palavra determinante para o sucesso ou fracasso da empreitada nos EUA. Para a abertura da empresa em si, é feita com apenas um sócio, sem capital social inicial mínimo e cópia de passaporte dos sócios. Assim, a AE abre sua empresa, seja uma filial ou uma empresa nova, em cerca de duas semanas, sem precisar alugar sala comercial ou contratar empregados.

GIRO SP: A America Expert oferece algum serviço para o investidor antes de se instalar nos EUA, para saber se o produto ou serviço terá aceitação do público no mercado? A America Expert também faz o enquadramento do produto e/ou serviço nas legislações e órgãos fiscalizadores?
SIMONE: Nosso maior objetivo é cuidar de todo o ciclo do processo de negócio do nosso cliente, que cobre desde a abertura da empresa nos Estados Unidos, passando pela manutenção, de acordo com a lei americana até a gestão do escritório ou até mesmo a residência do empresário.

GIRO SP: Muitoas vezes as micro e pequenas empresas têm dificuldade de fazer o custo e preço de seu produto e ou serviço aqui em seu país de origem. A América Expert oferece este tipo de serviço?
SIMONE: Claro! Um negócio só é justificável e viável quando o retorno é maior do que os custos, pelo menos em médio prazo. A AE ajuda a confirmar essa viabilidade atraés de cálculos de custo fixo, variáveis, identificação de práticas e preços adotados na concorrência, impostos de importação e exportação, entre outros.

GIRO SP: Qual é o maior grau de dificuldade encontrado para se instalar nos EUA e qual a maior garantia ou segurança que você pode oferecer para o empresário?
SIMONE: O maior grau de dificuldade vai variar de caso a caso e o que o empresário conhece e está disposto a conhecer através de um projeto de assessoria customizado para ele, além da absorção e facilidade de se adaptar em mercados que irão exigir comportamentos completamente diferentes do que os empresários praticam no Brasil, onde normalmente tem plena liderança em seu segmento.

GIRO SP: O consumidor americano é bastante exigente, então, como é a relação com os produtos e serviços brasileiros? Existe algum tipo de preconceito em relação à nossa nacionalidade?
SIMONE: Não existe preconceito, até mesmo porque o Brasil está na moda e tem se tornado exemplo de qualidade em cosméticos, moda de praia e ginástica. O mercado americano é muito consumista e tem espaço para todos, porém, sem o entendimento de que no mercado tudo que é vendido tem que ser entregue ou que não existe um meio termo ou espeço para o famoso “jeitinho” e o que foi combinado tem que ser cumprido, se torna bastante compensador a prática de negócios nos EUA.

GIRO SP: Qual o maior desafio do empresário na ótica da America Expert?
SIMONE: O Maior desafio é perceber que nos EUA não existe a política do “jeitinho”, de tirar vantagem das coisas. Aqui a lei tem que ser cumprida. Por exemplo, não existe parcelamento – comprou, pagou. E o mesmo vale para os serviços. Pechinchar o preço, nem pensar. Essas são algumas práticas inaceitáveis no mercado americano.

GIRO SP: Em que linha ou área os produtos e serviços são mais consumidos ou contratados pelo público americano?
SIMONE: Não há um serviço específico ou “favorito” do público americano. Mas, com certeza, a moda praia faz muito sucesso nos estados que tem praia, como é o caso de Miami, onde fica nossa base.

GIRO SP: Sabemos que há muitas variações de valores de uma atividade para a outra, mas qual é a média de investimento em Reais para se montar uma micro empresa, desde a saída do empresário do Brasil até a consolidação da empresa, incluindo sua assessoria e levando em consideração o pacote completo da America Expert para indústria e para serviços?
SIMONE: Entre R$4000 para abertura da empresa e R$1000 para manutenção da empresa, pacotes customizados para estudos de viabilidade podem variar de R$8.000 a 40.000.

GIRO SP: No Brasil, não conhecidos vários cases de sucesso de brasileiros que se aventuraram e deram muito certo, além de muitas pessoas que se inspiram neles para se aventurarem. Sabemos que há 50% de chance de dar certo e 50% de não dar certo, mas qual é o seu conselho para que estes pequenos empresários não sofram dissabores em uma nação desconhecida?
SIMONE: Planejamento, conhecimento do próprio negócio, informação e uma assessoria que possa fazer uma pesquisa de mercado antes de o negócio ser efetivado, contemplando desde o local onde ele deve se instalar até se o produto está adequado ao público alvo.

GIRO SP: Por que você acha que o micro e pequeno empresário deveria procurar seus serviços?
SIMONE: Os serviços prestados pela America Expert têm sido cada vez mais procurados por brasileiros que querem expandir divisas. Tal movimento está afetando de forma positiva os negócios para a empresa. Tanto que a perspectiva para 2013 é crescer 30% em relação ao ano passado. Atualmente a empresa possui uma carteira com 110 clientes e com um índice de fidelização chegando a 100%.

GIRO SP: Além de reconhecida por conseguir gerar sucesso de brasileiros nos EUA, quais são os principais serviços que a America Expert oferece?
SIMONE: Abertura da empresa, proteção de patrimônio, endereço físico e virtual, assessoria contábil e tributária, processos de imigração, seleção e contratação de funcionários, folha de pagamento, pesquisas e levantamentos, concorrentes, serviço de compras e identificação de fornecedores, elaboração de plano de negócios, estratégias, logística e registro de marca são alguns dos principais serviços que a America Expert oferece àquele que busca gerar sucesso e, em consequência, ser um sucesso nos Estados Unidos.

Entrevista publicada pela revista GIRO SP, na edição de Novembro de 2013 – página 78 – texto de Erika Pedroso

Comments

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.