• Abrir empresa nos eua
  • Como abrir uma empresa nos eua
  • Consultoria nos EUA
  • Contabilidade nos EUA
  • Simone Oliveira
  • America Expert You Tube Channel
  • Instagram

US : +1 (305) 824-9100 | BR : + 55 (11) 3957-1612

America Expert
America Expert

Tenho que pagar imposto nos EUA?

impostoeua-americaexpert

Imposto EUA

Você é um residente permanente, está viajando a negócios ou está trabalhando temporariamente nos EUA e não entende nada do que precisa e se precisa pagar impostos nos EUA. Não se preocupe! Nós iremos te ajudar!

Um residente permanente com somente um dia nos Estados Unidos se considera um residente para fins tributários. O que isso significa? Significa que tem que pagar impostos.

Caso não seja um residente permanente, ainda precisa considerar as obrigações fiscais de não residentes. Para determinar se tem uma obrigação fiscal nos Estados Unidos, se usa um teste que se chama de Substantial Presence. Se tiver uma “presença substancial” nos Estados Unidos, você precisa pagar impostos.

O teste de “presença substancial” dá-se da seguinte maneira:

  1. Primeiro, tem que estar nos Estados Unidos por um mínimo de 31 dias no ano vigente; e
  2. Segundo, tem que estar nos Estados Unidos por um mínimo de 183 dias nos últimos três anos, de acordo com o seguinte cálculo:
  • (i) o número de dias nos Estados Unidos no ano vigente
  • (ii) o número de dias nos Estados Unidos no ano anterior multiplicado por 1/3
  • (iii) o número de dias nos Estados Unidos no penúltimo ano multiplicado por 1/6.

Você pode encontrar mais informações sobre o teste em: https://www.irs.gov/individuals/international-taxpayers/substantial-presence-test-excluding-days-of-presence-form-8843

Se precisar também, entre em contato conosco, que te ajudamos com toda a parte de contabilidade física ou empresarial nos EUA.

 

Alíquotas sobre compra de Produtos nos EUA. 

Você já ouviu essa frase em algum lugar? “Os preços no USA sempre serão mais atrativos que em qualquer outro lugar do mundo”.

Se formos comparar os preços de produtos em diferentes países podemos observar que os produtos além de sairem mais baratos, as políticas de alíquotas em cima de cada produto, nas Américas, é super transparente, De que forma? Por exemplo: Você escolhe um produto no mercado que está com o valor de US$ 10 e na hora de pagar, as alíquotas são incluídas no valor da compra, e ele sai por US$ 10,82. diferentemente dos produtos vendidos no Brasil, por exemplo. Só para reforçar a informação, cada estado possui uma alíquota diferente para taxar os produtos (muito semelhante ao ICMS no Brasil).

Veja abaixo o valor cobrado nos principais estados norte-americanos:

  • Alaska 0% – TAX FREE
  • Califórnia 8,25%
  • Colorado 2,9%
  • Flórida 6%
  • Hawaii 4%
  • Indiana 7%
  • Maine 5%
  • Massachusetts 6,25%
  • Michigan 6%
  • Minnesota 6,875%
  • Mississippi 7%
  • New Hampshire 0% – TAX FREE
  • New Jersey 7%
  • New York 4%
  • Oregon 0% – TAX FREE
  • Pennsylvania 6%
  • Rhode Island 7%
  • Tennessee 7%
  • Texas 6,25%
  • Utah 4,7%
  • Vermont 6%
  • Washington 6,5%
  • Distrito da Columbia (Capital Federal) 6%

Além das alíquotas de venda de produtos nos EUA também é necessário que cada empresário brasileiro tenha uma visão geral das principais obrigações fiscais de pessoas físicas que têm uma vida financeira ativa no Brasil e nos Estados Unidos:

A Primeira obrigação fiscal é a DIRPF (Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física), que é entregue anualmente até o último dia útil do mês de Abril.  Nela deve constar os rendimentos tanto auferidos no Brasil como nos EUA.

Outra é a DCBE (Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior). Esta declaração é obrigatória a todos os brasileiros que possuírem bens (conta em banco, autos, imóveis e etc) nos EUA (ou outros países do exterior), no valor superior a USD 100.000,00 (Cem mil dólares).  Esta declaração é entregue anualmente até 31 de Março. Lembro também que ambas preveem multa pela não entrega.

Para saber mais ou se precisa de ajuda com a sua declaração, entre em contato conosco. 

Sobre a Declaração de imposto de renda nos EUA

Você sabe como funciona o imposto de renda EUA?

Assim como no Brasil, as regras do Imposto de renda nos EUA são extensas e complicadas para uma pessoa leiga no assunto. Ainda mais porque a maneira de preencher a declaração de imposto de renda varia bastante de um país para outro.

Você sabia que, o Brasil é, dos quatro países, aquele com as menores alíquotas de IR, e o único em que é preciso declarar os principais bens; ao mesmo tempo, aqui não é possível deduzir uma série de itens permitidos nos demais países, como juros com a hipoteca, como acontece nos EUA.

Veja a seguir as principais diferenças:

Publicidade

Número de declarações entregues em 2011 foram 24,3 milhões, que é mais ou menos o mesmo número de declarações no Canadá, com um total de 35,2 milhões de declarações entregues no mesmo ano. Já nos Estados Unidos esse número foi de 145 milhões!

Formas de entrega

No Brasil, assim como nos EUA, e em vários outros países é possível enviar a declaração pela Internet. Em alguns deles, ainda é possível entregar em papel ou por meio de outros meios eletrônicos, como pen drive. Como dado de curiosidade, você sabia que n Austrália, 30% da população entregam a declaração diretamente à Receita, enquanto que 70% utilizam o serviço de profissionais?

Software

Nos Estados Unidos, o programa de declaração de imposto de renda só é gratuito para declarantes cuja renda bruta depois de certas deduções seja de até 57.000 dólares. Os demais devem comprar um software ou contratar ajuda profissional.

Limites de isenção

No Brasil, pessoas com renda inferior a 23.499,15 reais em todo o ano de 2011 são isentas de IR. As regras para declarar imposto de renda nos EUA são mais complexas, pois o direito à isenção depende de uma série de variáveis.

Como por exemplo, em 2011, os limites eram de 9.500 dólares para solteiros, 19.000 dólares para pessoas casadas declarando em conjunto, 3.700 dólares para pessoas casadas declarando separadamente, 12.200 dólares para quem declara como chefe de família e 15.300 dólares para viúvos com dependentes.

Tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, mesmo quem não precisa declarar pode preferir fazê-lo, pois pode ter direito à restituição.

Prazo

O brasileiro já se acostumou ao fato de que o início do ano é uma época de grandes gastos, principalmente de pagamento de impostos e pode ser entregue entre 1º de março e 30 de abril, assim como no Canadá.

Nos Estados Unidos, abril também é o mês do IR, mas a entrega deve acontecer um pouco antes, no dia 15 (ou primeiro dia útil seguinte, caso caia em um fim de semana ou feriado nacional). A diferença é que lá é possível pedir prorrogação do prazo em até seis meses.

Alíquotas

No Brasil, justamente, que as alíquotas são menores, o percentual mínimo para os não isentos é de 7,5%, enquanto que o máximo é de 27,5%. Nos Estados Unidos, a tabela  de alíquotas vai de 10% a 35%.

Modelo de declaração

No Brasil existem dois modelos de declaração, a simplificada, com desconto único de 20%, e a completa, onde são informadas todas as deduções permitidas por lei. A receita americana também disponibiliza opções para seus contribuintes, com três modalidades de formulário: o 1040, que pode ser usado por qualquer declarante e permite todas as deduções, ajustes e créditos possíveis; o 1040A, que permite uma dedução-padrão e apenas alguns ajustes; e o 1040EZ, que é a versão simplificada para quem não pretende fazer deduções ou ajustes, mas apenas requerer a restituição, podendo ser usado apenas por pessoas solteiras ou casadas que declaram separadamente.

Deduções

No quesito deduções, o Imposto de Renda difere bastante de um país para o outro. No Brasil é possível deduzir 1.889,64 reais por dependente (em 2012), despesas médicas não reembolsadas, exceto remédios (sem limite), INSS, previdência privada em até 12% da renda tributável, até 2.958,23 reais em despesas com educação, até 866,60 reais de gastos com empregado doméstico e algumas doações aprovadas pelo governo em até 6% do imposto devido.

Já nos Estados Unidos, as deduções são feitas primeiro, e apenas depois o imposto é calculado. Em 2011, podiam ser deduzidos 3.700 dólares por dependente, despesas com saúde não reembolsáveis (até um limite de até 7,5% da renda menos deduções), impostos estaduais e impostos sobre o consumo, juros da hipoteca, taxas relacionadas a imóveis e propriedade pessoal, doações, além de uma dedução padrão que varia de acordo com o tipo de declaração que o contribuinte utiliza.

Declaração de bens

Enquanto no Brasil os contribuintes devem reportar os itens mais importantes do patrimônio, como imóveis, contas correntes e investimentos, no Canadá, na Austrália e nos Estados Unidos, essa declaração não é necessária. Nos EUA, porém, quem tem patrimônio fora do país deve se informar para saber se precisa dar informações extras à Receita ou não.

Ganho de capital

As alíquotas no Brasil sobre o lucro dos investimentos variam de 15% a 22,5% e dependem do tipo de aplicação e do prazo.  Nos Estados Unidos, ganhos de capital provenientes de aplicações de curto prazo (de menos de um ano) são taxados em até 35%. Quando frutos de aplicações de longo prazo (mais de um ano), são taxados em até 15%.

Conheça alguns outros impostos nos eua (FIRPTA e SALES TAX): http://www.americaexpert.com/contabilidade-nos-eua/imposto-de-renda-nos-eua/firpta-e-sales-tax/

Fonte: Exame.com

Comments