Imprimir

Conhecendo os EUA

Economia

A economia  dos Estados Unidos é a maior economia nacional do mundo.  Seu produto externo bruto nominal (PIB) foi estimado em 14,7 trihões dólares em 2010, que é aproximadamente três vezes maior do que a segunda maior economia do mundo, a da China, que é de US$5,8 trilhões (2010).

A economia Norte-Americana mantém um alto nível de produção Produto Interno Bruto (PIB) de 46.442 dólares em 2009, em torno da décima posição no mundo). Historicamente, a economia Norte-Americana tem mantido uma taxa de crescimento do PIB estável, uma baixa taxa de desemprego e elevados níveis de pesquisa e de investimento financiados por capitais nacionais e, por causa da diminuição das taxas de poupança, cada vez mais pelos investidores estrangeiros. Em 2009, os gastos dos consumidores respondiam por 71% do PIB dos Estados Unidos.

Desde os anos 1970, a economia dos Estados Unidos tem absorvido poupanças a partir do resto do mundo. O fenômeno é objeto de discussão entre os economistas. Assim como outros países desenvolvidos, os Estados Unidos enfrentam um baby boom retraído, o que já faz com que a população comece a retirar suas contas da Segurança Social, no entanto, a população estadunidense ainda é jovem e em crescimento, quando comparado a Europa ou Japão. A dívida pública dos Estados Unidos está em um excesso de US$ 12 trilhões e continua a crescer a uma taxa de cerca de 3,83 bilhões dólares por dia.

O mercado de trabalho Norte-Americano atrai imigrantes de todo o mundo e tem uma das taxas mais altas do mundo de migrações. Os norte-americanos têm o maior rendimento por hora trabalhada. Os Estados Unidos figuram em quinto lugar no Relatório de Competitividade Global do Fórum Econômico Mundial. O país tem o maior e mais influente mercado financeiro do mundo, casa de grandes e principais bolsas de valores e commodities como NASDAQ, NYSE, AMEX e CME.

Tratados Comerciais

Os Estados Unidos, tendo uma das economias mais poderosas e influentes do mundo, possui tratados comerciais com diversos países ao redor do mundo. Os Estados Unidos é um membro do NAFTA (Tratado de Livre Comércio da América do Norte), do qual o México e o Canadá  fazem parte. O Canadá é indiscutivelmente o maior parceiro comercial dos Estados Unidos, seguido pelo Japão e pelo México.

Os Estados Unidos faz parte da Cooperação Economica da Ásia e do Pacífico, um bloco econômico que tem por objetivo transformar a região do Pacífico em uma área de livre comércio e que engloba países da Ásia, América e da Oceania. O país faz parte da G8, grupo político-econômico que reúne os sete países mais poderosos economicamente do mundo mais a Rússia.

É importante destacar também, que o Estados Unidos da América tem hoje a maior dívida externa pública do mundo. Tem o maior PIB, entretanto, ironicamente tem o maior déficit econômico também. O que quer dizer que consomem muito mais do que produzem.

 

Curiosidades sobre esta grande nação:

Apesar de ser uma nação enorme e muito individual em cada região (assim como no Brasil), algumas coisas são quase que regra por todo o território.

  • Nos EUA regras são para ser seguidas. Por isso, dificilmente consegue-se dar "um jeitinho" para se conseguir qualquer coisa fora de prazos ou preços estabelecidos.
  • Segurança é questão primordial para os americanos, tanto que casas sem muros, carros abertos na garagem externa, casas sem ser trancadas não são coisa rara de se encontrar, pois as pessoas estão seguras de que a proteção fornecida pelas cidades é suficiente. Falando sobre isto, policiais estão em todas as partes - a pé, em veículos circulando pelo transito normalmente como qualquer outro carro.
  • Em todo lugar é de praxe dar gorjetas. O fato de não dar gorjetas é visto até como ofensivo. Se você gosta do serviço de alguém ou foi beneficiado com o serviço de alguém é quase obrigatório dá-las.
  • A obediência à regras é vista também no transito. A velocidade máxima estabelecida é sempre rigidamente seguida. Faixas de pedestres são respeitadas. Ônibus escolares são respeitados. As regras são sempre ensinadas desde novos: licença de direção é concedida aos 16 anos.
  • Conheça a cidade que você irá visitar, em algumas cidades com bairros muito divididos por etnias, pode ser considerado ofensivo andar por lá depois de determinado horário se você for de uma etnia diferente.
  • É possível viajar quase o país inteiro através da malha ferroviária.
  • Não cumprimente alguém com beijinhos e abraços, a não ser que esta pessoa já esteja familiarizada com este hábito brasileiro. Normalmente o americano estende a mão para o cumprimento.
  • Chegue sempre no horário marcado, seja para um jantar, almoço de negócios, reuniões, consultas ou simples encontro informal. Ao reservar uma mesa num restaurante, espera-se que a pessoa chegue com cerca de quinze minutos de antecedência e quem convidou deve ser o primeiro a chegar.
  • É prudente sempre perguntar como uma pessoa prefere ser chamada, pelo primeiro nome ou sobrenome precedido por Miss, Mrs ou Mr.

Alguns exemplos a considerar

Gestos e sinais utilizados com as mãos podem trazer sérios embaraços, pois um mesmo sinal pode significar coisas muito distintas em diferentes países:

Um círculo feito com o polegar e o dedo indicador é algo obsceno para os brasileiros, mas para os americanos significa OK, para os japoneses sinal de dinheiro, para os franceses algo sem valor e para os alemães é o mesmo que xingar alguém de idiota.

Na Tailândia e na Bulgária, os movimentos de sim e não feitos com a cabeça, são invertidos. Na Austrália, o “V” da vitória ou o gesto de “positivo” quer dizer que você está mandando alguém para um lugar muito indevido. Na região da italiana Sardenha, na Turquia e na Grécia, o gesto usado para pedir carona vira um convite sexual. Nos países árabes é grosseiro sentar-se e mostrar a sola dos sapatos, pois é considerada a parte mais suja.

fonte: wikipedia

Share